ORATORIA: Cinco erros ao falar em público

Tempo de leitura: 5 minutos

ORATORIA: CINCO ERROS AO FALAR EM PÚBLICO

Técnica de oratoria: Você vai fazer uma apresentação em público, e já se preparou para isso. Você tem domínio sobre o assunto e se sente bem para fazer a apresentação. Ótimo! Mas você conhece alguns erros que são capazes de destruir sua apresentação? Aqueles erros que parecem simples, mas que se forem evitados podem transformar a sua apresentação e ter um resultado UAU.

 

Hoje, eu te conto um pouquinho sobre esses erros, e quais as estratégias para você não cometê-los na sua apresentação.

1- Falar o tempo inteiro de si mesmo

O primeiro erro é falar o tempo todo sobre si mesmo, deixando o público perder o interesse pela sua apresentação. O público definitivamente não está ali para saber sobre a sua vida, sobre o que você já fez ou deixou de fazer, mas sim para saber como o seu conteúdo pode transformar a vida dele. Então você precisa focar no público e não em você, crie uma interação, faca o público se identificar com o que você fala.  

Eu não estou dizendo que você não pode falar nada sobre si, estou dizendo que o excesso é um erro! Você precisa se apresentar, falar o que te fez chegar até aquele momento, mas sem exibir demais o seu “eu”. Procure exemplificar as situações usando “personagens” ou até mesmo alguém do próprio público, mas evite contar histórias ou dar exemplos utilizando você mesmo.

2- Falar sem olhar para o público

O segundo erro é falar sem gerar conexão visual com o público. Se você vai falar em público e quer que as pessoas prestem atenção em você, você precisará estabelecer contato visual. E por isso quero destacar, algumas possíveis situações que a pessoa não olha para o público:

  • Quando tem slides e ela olha o tempo todo para o slide (inclusive, aqui vai mais um erro da oratória: fica o tempo todo olhando e lendo seus slides!);
  • Quando ela olha o tempo para o texto que preparou (e fica lendo e explicando, sem levantar seus olhos ou se levanta é muito rápido, não dá tempo de gerar conexão);
  • Quando fixa o olhar em algum ponto e fala o tempo todo olhando só para lá. 

Evite essas situações, e lembre-se que olhar para o público gera conexão! Porém não mantenha o olhar fixo a algum lugar, ou pessoa. Procure alternar os olhares, e mantenha sempre que possível o contato visual com o público.

3- Estourar o tempo da sua apresentação

O terceiro erro é ultrapassar o tempo da sua apresentação. Você já foi em uma palestra que durou duas horas quando deveria durar uma hora e meia? Foi chato, não foi? Se você tem dois minutos para falar, fale em dois minutos. Se tiver uma hora, fale em uma hora. Não ultrapasse o tempo da sua apresentação, além de ser um desrespeito com o público é também um desrespeito com o próximo apresentador que virá após a sua fala.

Por isso é fundamental que você treine sua apresentação e a cronometre; e se por acaso durante o seu treino você ultrapassar o tempo estipulado, veja o que pode ser retirado ou então como você pode otimizar e ganhar tempo com sua apresentação, mas não ultrapasse o horário estipulado. Respeite isso! Estourar o tempo da sua apresentação é um erro pé-ssi-mo! 

4- Confiar na sua memória

O quarto erro, é não levar um material e confiar apenas na sua memória. Por mais que você tenha domínio do assunto, e saiba exatamente o que precisa e quer falar, é necessário ter seu material de apoio em mãos. Leve suas anotações, o seu notebook, slides, ou qualquer outra coisa que possa servir de suporte caso eventualmente te der um branco. Veja bem, é diferente você ter o material em mãos pra te orientar caso aconteça um imprevisto, do que ler esse material o tempo todo! 

Particularmente, eu gosto muito e sempre que possível eu uso slides, pois eles inclusive me ajudam a gravar em qual momento eu preciso falar tal coisa! Mas cuidado, não fique dependente dos seus slides, porque além de não gerar conexão visual, caso você comece a lê-los, outros imprevistos podem acontecer. Tenha o assunto na ponta da língua, mas não confie apenas na sua memória! Utilize alguns recursos que possam te auxiliar a lembrar da estrutura que você montou!

5- Vícios de linguagem

O quinto erro são os vícios de linguagem. Sabe aquelas palavrinhas que insistimos em colocar no começo, no final ou em qualquer lugar da frase? A pessoa para de prestar atenção na sua fala e começa a contar quantos “nés” você falou!

Eu não sei se você se incomoda, mas o uso excessivo do “né” ou de outro vício de linguagem como o “tá”, “ok”, “entende”, entre outros, incomoda muitas pessoas! Usar palavras como “né”, “tá”, “daí”, “entende?”, “tipo assim” não agregam na sua apresentação. Risca os vícios de linguagem do seu vocabulário. 

E aí, gostou das dicas? Quer saber outros erros? Tem um post com os 12 erros mortais ao falar em público, aqui no blog! Acessa lá e aumente ainda mais o seu desenvolvimento ao falar em público!

Um forte abraço, Gislene Regina Isquierdo
Psicóloga CRP 08/09186

Comments

comments