fbpx

Escrito por: Artigos

Neuro oratória | 4 técnicas científicas para falar em público

neuro oratória

Seja bem vindo novamente ao meu blog! Anteriormente, conversamos sobre como vender uma palestra na internet, a fim de melhorar suas habilidades neste campo de atuação. Hoje abordaremos um tema importantíssimo nesta área, tanto quanto o tópico do artigo já publicado: técnicas científicas para falar em público!

Surpreendentemente, há quem pense que só falamos em público quando estamos gravando um vídeo ou dando uma palestra…

No entanto, é uma competência que usamos em tudo na vida. Não apenas em palestras, como em relacionamentos afetivos, na carreira, na venda de projetos… Em suma, usamos esta habilidade de se expressar, ou seja, a oratória, para tudo!

Sou apaixonada por estudar a neuro oratória, bem como a neurociência. Por isso, vou à fundo nas pesquisas da Psicologia a fim de trazer para cá um assunto embasado cientificamente.

Não quero te contar algo que li uma vez no Facebook, uma vez que encontramos esse tipo de conteúdo sempre! Pelo contrário, meu desejo é trazer ciência de verdade e ações concretas com a finalidade de te ajudar a implementar essas dicas no seu dia a dia!

Vamos ver 4 técnicas de Neuro Oratória para que você arrase ao falar em público!

1 – Entonação e velocidade da sua voz

Este é um ponto crucial ao se apresentar, pois os sons emitidos no ambiente disparam algumas emoções no cérebro da pessoa que os ouve! Por isso, quando você for conversar com alguém, esteja ciente de qual a emoção quer disparar, para que você saiba qual a entonação correta a se usar!

Por exemplo, imagine a sua mãe te chamando. Inegavelmente, dependendo da entonação você vai sorrindo ou vai tenso!

capa-raiva

Às vezes, algumas pessoas pensam que quando elas estão em público precisam falar sem parar para serem persuasivas, ou seja, elas falam com vigor e com força o tempo todo! 

Contudo, não é assim que funciona! De fato, em alguns momentos você vai falar com vigor, porém em outros você vai diminuir a entonação da sua voz. Assim como, em determinadas horas, você vai até fazer uma pausa ou falar mais devagar.

O bom orador é aquele que, ao se expressar, persuade o público utilizando-se desta primeira técnica, a fim de mudar o estado emocional do ouvinte.

capa-gritando

Com o intuito de fazer isso dar certo, você precisa estar atento à quantidade de pessoas que estão te ouvindo, assim como na importância que você quer dar ao tema. 

Por exemplo, se existem poucas pessoas na sala, você não deve ficar falando o tempo inteiro com o tom de voz mais forte, pois ninguém vai aguentar. Pelo contrário, o público vai ter uma enorme dor de cabeça e você vai ter um grande problema nas mãos. Certamente, não é isso que você quer, correto? Por isso, use um tom de voz mais contido, porém audível. Dessa forma, a audiência te entenderá e sairá satisfeita.

Em contrapartida, se você estiver se apresentando para uma grande platéia, o correto não é aumentar o volume da sua voz, com muitos acham. Surpreendentemente, o que deve aumentar é o seu nível de energia, como ensino no meu curso de oratória online!

 Gi! Então, toda vez que eu for falar algo importante, a única coisa que posso usar é a entonação?

Depende! Certamente, junto com a entonação a gente muda a velocidade da nossa fala. Portanto, é possível utilizar este elemento, como falar mais pausadamente, por exemplo. Dessa forma, o público vai ficar mais atento.

Acima de tudo, você sempre tem que analisar o contexto, mas com certeza esta é uma técnica poderosa. 

Nº 2 – O seu corpo

Há milhões de anos, na época do Homem das Cavernas, o ser humano não tinha a comunicação verbal. Em função disto, nos comunicávamos através do nosso corpo e da entonação vocal.

 

Só para exemplificar, imagine a Gislene da época das cavernas te chamando para ir colher fruta, por exemplo. Com certeza, ela estaria sorrindo!

 

 

Em contrapartida, imagine a Gislene da época das cavernas vendo um grande bicho assustador! Certamente, ela estaria gesticulando desesperadamente!

Inegavelmente, o nosso corpo se comunica! Contudo, muitas pessoas esquecem da fala corporal quando vão se apresentar para o público, consequentemente ficando com a mão no bolso ou para trás… Não faça isso, mesmo que você esteja inseguro no momento em que for palestrar! Pelo contrário, use o seu corpo a seu favor! 

Nº 3 – Escolha da roupa

capa-roupas-formais

Este é mais um ponto que pode mudar completamente a conexão que você deve gerar com o público, porém muitas pessoas o subestimam.

Com a finalidade de mostrar como lido com essa questão, fiz um vídeo no meu canal do Youtube em que eu conto de uma palestra que ministrei para adolescentes. Na ocasião, os pais puderam estar presentes, então pensei: “minha roupa precisa ser canal de conexão com os dois públicos”.

Por isso, eu fui palestrar com uma calça toda rasgada e um terninho.

Ao passo que precisamos nos preocupar com o público, também é importante analisar qual é o cenário da palestra. No caso, eu estava em um grande teatro onde o fundo era mais escuro. Dessa maneira, eu não poderia ir com uma roupa escura porque eu iria sumir.  

Além disso tudo, outra dica importantíssima é: se você estiver com uma roupa escura, não fique só com a mão de fora já que dessa forma o público verá menos os seus movimentos. Em vez disso, dobre as mangas para cima, pois quanto mais a pessoa vê o seu corpo, mais poder vai ter a sua entonação, a sua emoção, a sua fala. 

Entretanto, uma das dicas mais significativas é: evite muitas estampas.

De acordo com uma pesquisa que li, o uso de muitas estampas na sua vestimenta faz com que os olhos do público tendam a se virar mais para a roupa do que para você. Mesmo que trajes estampados sejam do seu agrado, neste momento, o foco não é sua roupa, mas sim seu rosto, a região do braço, das mãos e a sua comunicação. Portanto, é importante evitar!

Nº 4 – Iluminação

capa-discurso

Certamente, você já foi em algum evento, convenção, treinamento onde a sala está completamente escura e a luz fica só no palestrante. Com toda certeza, este ambiente fez você ter sono. Estou errada? Ocorre que o nosso cérebro é treinado para dormir quando tem pouca ou nenhuma luz. Semelhantemente, quando um ambiente está bem iluminado, somos programados a acordar! 

Por consequência, se você estiver dando uma palestra e deixar todo o ambiente sem luz, ainda mais depois do almoço, a galera vai dormir! Em vez disso, tente apagar o mínimo de luzes que puder para que sua apresentação não gere cansaço. Dessa forma, o público ficará mais atento no que você está apresentando.

Em resumo, o que aprendemos nesse post:

  1. A entonação e a velocidade da sua voz causam efeitos no ouvinte! Assim, aprender a controlar isto pode te trazer muitos benefícios.
  2. Observe o contexto em que você vai se apresentar. Por exemplo: qual o cenário, onde e para quem você vai palestrar…
  3. Não se esqueça de prestar atenção na sua linguagem corporal com a finalidade de fazer a audiência ficar mais engajada!
  4. Enfatize essa linguagem dobrando as mangas da sua roupa, para que seus gestos sejam vistos de longe.
  5. Escolha roupas condizentes com o local da sua apresentação, para que o seu público se identifique com você!
  6. Evite estampas em palestras, pois isso chama atenção para o seu “look” sem necessidade!
  7. Não desligue todas as luzes da sala/auditório, uma vez que nosso cérebro é programado para dormir na ausência de luz!

Agora me conta…

Você já conhecia ou usava de alguma dessas técnicas? Quais delas você vai começar a usar daqui pra frente com o propósito de melhorar sua postura em frente a uma plateia? Pense sobre isso e em seguida comente aqui embaixo! Dessa forma, podemos ter uma troca super legal!

Um beijo e a gente se fala no próximo artigo!

Gi Isquierdo

Psicóloga e Neurocientista

CRP 08/09186

(Visited 111 times, 1 visits today)
Last modified: 4 de setembro de 2020