fbpx

Escrito por: Artigos

Síndrome de Burnout e Estresse Emocional

A Organização Mundial da Saúde considera o estresse a epidemia do século. Atualmente 90% das consultas médicas vem de estresse. O que acontece hoje é que nós nos preparamos (às vezes) para infinidade de atividades que temos que dar conta no nosso dia, mas não estamos preparados para toda essa reação que isso gera no nosso corpo. Pequenas tensões diárias podem ser pior do que grandes tragédias. Minha pergunta é: como você lida com suas tensões diárias?

Richard Lazarus, psicólogo da Universidade da Califórnia, descobriu que aborrecimentos diários crônicos, como por exemplo: pais doentes, colegas irritantes, engarrafamento e longos trajetos para ir ao trabalho são mais estressantes do que acontecimentos grandes e traumáticos, como a perda de alguém que você ama.

Pesquisas apontam que 75% dos casos de dor de cabeça são causados pelo estresse.

Experimentos com ratos estressados demonstraram que eles perderam duas vezes mais células cerebrais no campo, na área da memória, do que ratos não estressados. 

Robert Sapolsky é referência mundial em neurociência e ele desenvolveu várias pesquisas que mostram que a secreção do cortisol a longo prazo é tão tóxica que mata milhões de neurônios, em especial, numa parte do cérebro chamada hipocampo que é responsável pela memória, pelo aprendizado… e isso pode causar demência precoce.

O simples ato de pensar no chefe, ou em algo que te estressa, pode disparar a mesma resposta ao estresse real. Ou seja, o nosso estresse é emocional e não social.

Por exemplo, estudos comprovam que uma criança ri de 70 a 300 vezes em um dia, e um adulto ri em média 5 vezes. Apenas com esse dado, percebemos que algo não está certo nessa conta. Ao rir, nós enxergamos as situações com mais leveza, logo, temos mais tranquilidade para resolvê-las. 

Escolher quem vai estar próximo à você é extremamente importante. Quantas relações tóxicas, e casos de relacionamentos abusivos ouvimos falar nos últimos tempos? Não necessariamente amorosos, mas relacoes que te sugam a energia, que te faz ficar mais estressado, ou que minam sua autoestima e autoconfiança. Pesquisa aponta que pelo menos 30% das pessoas tem problemas com colegas de trabalho, pessoas puxando o tapete, chefes e colegas opressivos que fazem com que o outro sinta-se inferior.

A terceira e quarta ação estão ligadas uma à outra. Com o auge da tecnologia, as coisas ficaram muito mais rápidas. Tudo é muito fácil, prático, automático e… Instantâneo! Vivemos numa era de excesso de informação, e que alegamos que estamos sem tempo de fazer o que deveria. Desconecte-se! Escolha o que você vai ter de informação, o que você vai buscar, o que você vai assistir, quem você vai seguir. 

Saia do automático! Aproveite os momentos com a qualidade que eles merecem ser aproveitados… São apenas quatro ações! Qual dessas você topa fazer? Me conta nos comentários!

Um abraço, Gislene Isquierdo

(Visited 25 times, 1 visits today)
Last modified: 4 de março de 2020